Pesquisa da UP é destaque nacional

23 de setembro de 2019
Ilton Santos da Silva, professor de Pós-Graduação em Biotecnologia
Pesquisadores envolvidos na descoberta
Pesquisadores envolvidos na descoberta

Pesquisadores do Mestrado e Doutorado em Biotecnologia da Universidade Positivo (UP) apontam que a folha de pitangueira pode ajudar a combater a doença de Alzheimer. A pesquisa desenvolvida pelos docentes é de extrema relevância para a sociedade e teve alcance nacional, sendo noticiada em portais como Galileu (clique aqui para conferir a matéria completa), EBC (Empresa Brasil de Comunicação), Paraná Portal, Panorama Farmacêutico, entre outros.

Na análise, eles observaram que o extrato das folhas da planta tem propriedades medicinais antioxidantes e anti-inflamatórias. Além disso, possui o chamado “efeito neuroprotetor”, que pode evitar prejuízos na memória. O professor de Pós-Graduação em Biotecnologia da UP, Ilton Santos da Silva, explica que a função desse potencial neuroprotetor é proteger os neurônios dentro dos surtos gerados pela doença. “Quanto mais eles [os neurônios] estiverem protegidos, a doença pode ser prevenida ou até evitada,” acrescenta Ilton. O professor ainda afirma que, após darem esse primeiro passo, vendo que os prejuízos de memória foram prevenidos, eles querem entender qual é a origem desse efeito preventivo.

Notícias Relacionadas